terça-feira, 7 de abril de 2009

NA LEMBRANÇA

Pra você eu guardei
Teu beijo em minha boca
O sabor diferente de teus lábios
Guardei em meus dentes
O gosto molhado do teu desejo.

Guardei o que nunca foi meu
A ilusão, deixei no peito
O abraço de teu abraço
Essa vontade de não ser eu.

Pra você eu guardei
Uma palavra indecifrável
Presa na garganta
Ou na ponta da caneta
Guardei você nas páginas de um caderno

Guardei-te no bocejar
Das horas mais findas e longas
Nessa noite intensa e escura
Nesse poema doído, triste, com sono.

Pra você eu guardei
O teu perfume em meu corpo
Até o que nunca foi meu
Guardei...
Guardei na lembrança
Você em mim.


joasvicente

Um comentário:

Guimarães, Pauline disse...

Não sabia que era tão bom nas palavras.
Está difícil de encontrar um ruim.
:D
irei postar no meu blog.
posso?
sei que posso.
beijos